quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Conceito sobre família

Através da história, constata-se que  família é aquela que se liga, através dos laços consanguineos e esses laços se mantém muito fortes, até os dias atuais.
Segundo a professora Solange Fernandes, Doutora em Serviço Social, PUCPR,  "Frederich Engels, ao tentar reconstruir a história das famílias em seu livro: A origem da Família Estado e Propriedade Privada, destaca a existência de diversas formas de organizações familiares, com culturas, hábitos, modos de estabelecer relaçoes completamente diferentes. Podemos destacar, antes da família monogâmica, dois modelos diferentes de família, a primeira família que Engels destaca é a família Punaluana, sua característica mais forte era a linhagem feminina, e os matrimônios eram coletivos, e por esse motivo, desconhecia -se a paternidade, pois não havia a propriedade privada e ou a exigência da fidelidade, as mulheres eram veneradas pelo ato mágico da reprodução, e por isso, ocorria frequentemente roubos entre os clãs, fazendo com que houvesse uma linhagem mais pura, em função das misturas consanguineas.
Outra organização familiar destacada por Engels, trata-se da família Sindiásmica. Nesta, o homem tem uma mulher principal, entretanto a poligamia e infidelidade era um direito conjugal masculino, desde que o homem pudesse sustentar todas as mulheres e filhos. Já, as mulheres, eram severamente castigadas, sem nenhuma tolerância, e no caso das rupturas afetivas, os filhos ficavam com a mãe. Destaca-se que, apesar da exigência da fidelidade feminina pós casamento, era permitido a mulher manter relações sexuais com vários homens, inclusive, até o dia do casamento ela poderia se relacionar com vários homens, o noivo era o último a ter a noiva.
A família monogâmica surgiu com a família moderna, seus valores culturais, emergiu em meados do século XIV e XV, juntamente com a ascensão da burguesia e de um conjunto de ideais iluministase revolucionários da época, pois com o fortalecimento da burguesia, permitia um diferencial em relação as camadas populares, pois com o isolamento doméstico, a criação de um sistema escolar para os filhos, acabou por separar essas famílias do mundo, formando um núcleo familiar solitário, formado por pais e filhos.
Com tudo isso, se percebe, segundo a professora Solange Fernandes, o SENTIMENTO DE PERTENÇA, de família, de amor incondicional aos filhos, capacidades de maternagem e paternagem, entre outros, são construções sociais e não naturais, como ideologicamente, tenta-se reproduzir. Essas condições expressas em valores e culturas como conhecemos hoje, é resultado de um longo processo histórico que resultou no desenvolvimento de sentimentos que nos unem às nossas famílias.
Com esse breve histórico, o que se pretende transmitir, mesmo que cause polêmica, é que família não é natural.Mas sim, uma construção humana que sofre transformações de acordo com reconfigurações societárias.
As mudanças nas configurações familiares não é um fenômeno novo, típico das relações sociais contemporâneas, mas se constitui em movimento histórico".

Entendendo as famílias contemporâneas

O assistente social, muitas vezes, sem perceber, reproduz em seu cotidiano profissional, a sua concepção de família, incorporada ao longo do seu processo histórico, tudo isso permeado de conceitos e valores  pré estabelecidos. 
E muitas pessoas dizem que a família é uma instituição falida, pois devido a questão social ( aumento da incidência da gravidez na adolescência, dependência química entre os jovens, separações, divórcios, adolescentes em conflito com a lei, pais, mães alcolistas, etc,)
Tudo isso, está fazendo com que haja formas diferentes de relacionamentos entre homens e mulheres, ou pessoas do mesmo sexo. Com novos combinados, com amor e liberdade. O que nos causa um certo preconceito é porque ao longo da histórica, acostumamos com o modelo romantizado, do casal redondinho, pai, mãe, filhos, tudo perfeito. E tudo que foge a esse padrão é estigmatizado.
Muitas pessoas sofrem no decorrer de suas vidas, por não terem alcançado esse  "padrão ideal", outros sofrem porque não conseguiram "segurar" o casamento, que era seu ideal de vida, sofrendo danos emocionais intensos. infelizmente, a mídia, com seus comerciais de família perfeita, a família margarina é o alvo, sonho de muitos, e quando isso não ocorre, seja por separações, ou por não encontrar o parceiro"ideal",  a pessoa se torna amarga, presa a um preconeito que prega que "família, é a tradicional", sem separações, pois "onde já se viu, haver separação na família, que sempre foi "exemplo", exemplo de que? de aparência????
Não existe problema algum em querermos algo tradicional, em manter um casamento de 20, 30, 40, anos, desde que haja verdadeiramente um LAR, PAZ, HARMONIA, AMOR E CONFIANÇA!!
Penso que isso seja a fórmula ideal, para sermos felizes, não importa o arranjo familiar, não se pode dizer que uma família seja"desestruturada" por não ter o pai ou a mãe presente, ou família desorganizada, família disfuncional...
O profissional não deve qualificar ninguém por não ser uma família redondinha, composta por pai, mãe e filhos, temos que ter uma análise da realidade, seja ela de uma família composta por uma mãe, avó, padastro, enteados de ambas as partes, ou mãe, namorada da mãe,namorado do pai, filhos ou não, cachorro, gato, papagaio, etc, ou seja, é melhor termos uma família que não seja "certinha", mas que no seu âmbito, haja respeito e amor, diálogo, do que uma familia tradicional, onde o pai é alcolista, a mãe uma depressiva e os filhos revoltados e no mundo das drogas, por não terem um ambiente de paz e compreensão.
Minha família hoje, é diferente do que pensei para mim, num primeiro momento, hoje sou eu, meu segundo marido, minha filha mais nova e meus dois enteados,e nem por isso, somos "desestruturados", pelo contrário, hoje, posso dizer que sou equilibrada, tenho e dou respeito, amor, diálogo, meus enteados são equilibrados, felizes, me valorizam e minha filha, apesar de ter um pai  e a irmã (minha filha mais velha) que mora com o pai, respeita e ama muito seu padrasto, que ganhou mais duas fihas, mesmo a outra estando longe, e eu digo sempre, que agora tenho 4 filhos!!!
O IMPORTANTE É O AMOR!! O RESTO, SE ADAPTA, COM CARINHO E RESPEITO!!!

baseado em SETP/SUAS/PR

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço suas preciosas palavras!!bj!!

Acredite em você

Acreditar em nossa capacidade interior é questão de sentir, quando você conecta-se ao universo e sente aquela energia preencher-lhe a alma,...